15 de abril de 2010

A MULTIPLICAÇÃO DOS PÃES E PEIXES

Mateus, em seu Evangelho, conta que por duas vezes Jesus fez o milagre de multiplicar pães e peixes.
...E sendo chegada a tarde, os seus discípulos aproximaram-se Dele, dizendo: O lugar é deserto e a hora é já avançada; despede a multidão, para que vão pelas aldeias, e comprem comida para si.
Jesus, porém, lhes disse: Não é mister que vão; dai-lhes vós de comer.
Então eles lhe disseram: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes.
E Ele disse: Trazei-mos aqui.
E tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a erva, tomou os cinco pães e os dois peixes e erguendo os olhos aos céus, os abençoou e, partindo os pães deu-os aos discípulos e os discípulos à multidão..
E todos comeram e ainda sobrou alimento que deu para encherem vários cestos.
Ao ler este Evangelho, lembrei-me de uma interpretação que li, há muitos anos sobre alguns dos relatos dos milagres de Jesus.
Sem desmerece-los, absolutamente. Apenas dando uma outra interpretação, que aos meus olhos bem provável de ter sido assim.
Ora, Jesus é o Filho de Deus.
Curou leprosos, devolveu a visão a cegos, levantou paralíticos, ressuscitou mortos... Para Ele, multiplicar pães e peixes não era nada difícil.
Os judeus não se davam bem com os idumeus. Nem com os samaritanos. Nem com os filisteus... Como lemos na Biblia, não havia uma integração harmônica entre eles. E dentre a multidão que seguia Jesus, ávida de ouvir as suas palavras, havia cidadãos de todos estes lugares.
Existem pessoas que ao aventurarem-se numa caminhada sem saber quanto tempo ela vai durar, se previnem. Levam um lanche para a eventualidade de sentir fome e poder alimentarem-se.
Outras, saem sem a menor preocupação. Só vão lembrar do alimento na hora em que a fome apertar. Isso deve ter acontecido com aquela multidão que seguia Jesus.
Muitos deles devem ter levado seu lanche. Outros, não.
Não é possível que quando Jesus abençoou os cinco pães e os dois peixes que eram o lanche Dele e de seus discípulos, os que haviam levado alimento, talvez até um cântaro com vinho ou água, sentiram-se tocados pelo gesto do Mestre?
E seguiram o Seu exemplo, dividindo o seu lanche com os que lhe estavam próximos.
E num efeito dominó, todos os "precavidos" fizeram o mesmo.
Ao tocar o coração das pessoas, permitindo que a generosidade, a solidariedade para com o seu próximo atingisse toda aquela multidão, Jesus fez um milagre maior, no meu entendimento, do que simplesmente multiplicar pães e peixes.
Mudou o coração daquela multidão que o seguia. Os fez pessoas melhores, dispostas a partilharem o seu alimento com o seu vizinho.
Impossível esta versão? Não terá sido um milagre bem maior?
Acho que sim.

Um comentário:

jorge disse...

Querida amiga Thelma.
Fiquei muito feliz de recebê-la no blog.
É um prazer visitar àquela que primeiro abriu as portas para minha poesia.

Muito obrigado.

PARABÉNS PELO BLOG!!!!

Jorge Elias Neto